sábado, 29 de dezembro de 2012

Como prevenir desaparecimentos de crianças nas férias

-Combinar um ponto de encontro com as crianças caso se percam e colocar-lhes uma pulseira com a identificação dos pais são algumas dicas para prevenir o desaparecimento de menores, sobretudo em tempo de férias.
.
-Deve-se ter cuidados redobrados durante o período de Verão,para ajudar a evitar situações de perigo nas férias e festas de fim de ano.
.
-Sugere-se que os pais combinem antecipadamente com as suas crianças um local de encontro (uma árvore, uma estátua, um café, por exemplo) para o caso de se afastarem e se perderem.
.
-Na conversa com a criança, os pais devem também estipular antecipadamente que, se ela não se lembrar do local combinado, é preferível ficar no mesmo lugar.
.
-As crianças devem ter uma forma de serem identificadas (uma pulseira, um crachá ou uma t-shirt) com o nome dos pais (nunca o da criança), número de celular,endereço de onde se encontram hospedados. No caso de viagens ao exterior, as famílias devem colocar essa informação em inglês ou na língua local.
.
-Se a criança se perder num espaço fechado (supermercado,shopping center, centro de exposições, museu) os pais devem procurar imediatamente um segurança e pedir-lhe para mandar controlar as portas do espaço, comunicando através do sistema de som o sucedido (para despertar a atenção de todos e desmotivar a intenção de um possível agressor).
.
-Ao sair, em família ou em grupo, a criança deve ser vestida de cores vivas de forma a facilitar a sua localização.


fonte>>http://laurabeu-laurabeu.blogspot.com.br/2011/02/como-prevenir-desaparecimentos-de.html

Portal São Carlos Agora ajuda a encontrar menina de 15 anos que estava desaparecida


O desaparecimento de uma jovem de 15 anos no último dia 21 terminou na noite desta segunda-feira (24) com um desfecho surpreendente. Ela foi encontrada em um canavial na região do Jardim Embaré.
O padrasto da menina, um agricultor de 33 anos, contou que o pastor de 37 anos foi quem indicou o local que ela estava após ter uma “visão”. Ela estava com as mãos amarradas, com as roupas e pertences próximos, deitada em um papelão.
A Polícia Militar foi acionada pelo padrasto da jovem e esteve no local juntamente com o pastor. Na delegacia, questionada sobre os fatos ela contou que tudo não passou de uma armação para justificar o desaparecimento, pois no dia 21, juntamente com o Pastor foi até a cidade de Catanduva. Eles descobriram através do site São Carlos Agora que a família estava procurando pela jovem, quando resolveram retornar e simular o sequestro.
A garota confessou que fez sexo com o pastor e que eles estavam se relacionando há algum tempo. A mãe da garota, afirmou que a filha sofre de retardo mental, o que deve ser confirmado através de exames. Ela pede Justiça.
Na delegacia o pastor foi ouvido e liberado. O caso será investigado pela Delegacia de Defesa da Mulher (DDM).
Agradecimentos ao São Carlos Agora
Emocionada, a mãe da garota falou com a nossa reportagem e agradeceu por ter ajudado a encontrar sua filha, pois segundo ela, foi através do site que o Pastor viu que a família estava procurando a garota.

Abaixo comentário postado pela mãe no portal. “Sou muito grata ao São Carlos Agora, não tenho palavras nem pra agradecer. Que deus abençoe a vida de cada um de vocês. Muito obrigada e um feliz Natal e um próspero ano novo. Érica (sou a mãe da menina)”.

Polícia localizou 95% dos jovens desaparecidos em Belém


Em 2012, os números de registros de desaparecimento de jovens na grande Belém foi de 657 casos. A Polícia Civil, por meio do Serviço de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos (Silcade) conseguiu localizar 634 desaparecidos, o que representa mais de 95% dos casos. Os dados foram divulgados pela polícia na última quarta-feira (26).  
A maioria dos casos de desaparecimento é de crianças ou adolescentes femininos, que correspondem a mais de 70% das ocorrências registradas na Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA). Em dezembro foram registrados 41 casos de desaparecimento, sendo 38 meninas e três de meninos. Destes, 21 meninas e dois meninos foram localizados.
De acordo com o coordenador do Silcade, investigador Edivaldo Carmo, a causa principal de desaparecimento de jovens ainda são as fugas do lar motivadas por conflitos familiares, geralmente decorrentes de um relacionamento amoroso não aceito pelos pais. Outras causas que geram o desaparecimento são a não aceitação da orientação sexual do jovem e a liberdade exagerada por parte dos pais.
O policial civil explica que o elevado índice de localização dos jovens desaparecidos é resultado, em grande parte, pela rapidez na comunicação do desaparecimento e pela divulgação da foto do jovem, por meio da imprensa e até por meio das redes sociais.
“Os pais não devem esperar 24 horas para fazer o registro do Boletim de Ocorrência, que deve ser registrada em qualquer delegacia de polícia”, explica o policial. Em 2011 foram registrados 539 boletins de ocorrências de desaparecimento de crianças e adolescentes, dois ainda permanecem desaparecidos.
Serviço: o Silcade fica localizado nos altos do Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente, na Rua dos Caripunas, entre a avenida Roberto Camelier e Rua Tupinambás, bairro do Jurunas. O serviço funciona de segunda à sexta-feira, em horário comercial. O atendimento é feito pelo telefone (91) 3272-0779.

sexta-feira, 28 de dezembro de 2012

CICERO JACINTO DE OLIVEIRA




FIA vai distribuir pulseiras de identificação para 40 mil crianças


Rio -  A Fundação para Infância e Adolescência (FIA) vai distribuir, nesta sexta-feira, 40 mil pulseiras de identificação na Rodoviária Novo Rio. O objetivo é conscientizar pais e responsáveis da importância da identificação de crianças com pulseira, crachá, registro de identidade e outros. A ação ocorrerá de 9h às 18h, no terminal de embarque superior.
Segundo a FIA, os números demonstram que nesta época do ano, o número de desaparecimentos em locais de grande concentração aumenta nesta época do ano.
Além das pulseiras, técnicos farão abordagens para sensibilizar o uso da identificação em crianças. Serão distribuídos ainda: cartazes com fotos de crianças e adolescentes desaparecidos e um manual com dicas de prevenção para evitar que crianças se percam.

Pai de menino que desapareceu após tiroteio é atropelado na Bahia


O pai do menino de nove anos, quedesapareceu no dia 4 de dezembro, em Vitória da Conquista, no sudoeste da Bahia, foi atropelado no dia 25 no centro da cidade, segundo o Hospital Geral de Vitória da Conquista (HGVC). Ele estava com a companheira no momento do acidente.
De acordo com o hospital, o homem quebrou a perna esquerda e teve escoriações no braço. Ele não corre risco de morte e até às 15 desta quinta-feira (27) permanecia na unidade, no setor cirúrgico. Já a mulher sofreu uma lesão na clavícula, mas já teve alta médica.
O menino sumiu após um tiroteio entre a polícia e um grupo de adolescentes. O subtenente Jean Queiroz informou que as buscas pela criança foram encerradas pela Polícia Militar, e que a investigação será conduzida pelo Ministério Público e pela Polícia Civil.
"Lá dentro do perímetro onde poderia encontrar o menino não foi encontrado nada. Nenhum indício. Se tivesse se afogado o corpo teria boiado e aparecido. Tudo foi revirado", informou o subtenente.

Depois de denunciarem que nenhuma amostra de sangue havia sido recolhida do local onde o menino de nove anos desapareceu, os parentes da vítima foram procurados na terça-feira (11) por uma equipe do Departamento de Polícia Técnica (DPT). Os agentes coletaram amostras de sangue da família para que elas sejam comparadas com o material que restava no local do desaparecimento.
O sangue encontrado no local do ocorrido foi retirado tanto pela família quanto pela polícia. Ele será confrontado com os materiais genéticos de familiares da vítima, para que seja detectado se pertence à criança. A polícia acredita que esta identificação irá auxiliar nas investigações. As duas amostras serão enviadas à unidade do Departamento de Polícia Técnica de Salvador. Ainda não há previsão de quando sairão os resultados dos exames.
As pessoas que tiverem alguma pista do paradeiro do menino devem entrar em contato com os bombeiros através do telefone (77) 3425-6605.
Envolvimento de PMs em sumiço de criança será apurado em sindicância (Foto: Reprodução/ TV Sudoeste)Envolvimento de PMs em sumiço de criança será
apurado  (Foto: Reprodução/ TV Sudoeste)
Investigação
Um menino de 12 anos, que estava com o garoto na última vez em que ele foi visto, contou uma versão de como tudo aconteceu. "Teve uma hora que nós olhamos para trás e não vimos ele, foi a hora que começamos a correr e a polícia começou a atirar. Teve uma hora que passou pelo policial e ele mandou abaixar", disse.
"É muita dor, muita tristeza, sinto falta de meu filho, peço para quem viu ele, quem estiver com ele, que possa trazê-lo de volta", apela Osana Batista, mãe do garoto.
Desaparecimento 
Segundo testemunhas, o garoto brincava com outras crianças em um matagal próximo ao Condomínio Vila Bonita, onde mora, quando um grupo de adolescentes chegou. Em seguida, a polícia apareceu e trocou tiros com o grupo de adolescentes, que seriam suspeitos de tráfico de drogas, de acordo com a PM.
As testemunhas informaram ainda que as crianças correram para se proteger dos tiros. Na confusão, o menino de nove anos se perdeu dos amigos e desapareceu.

Não foi permitido que voluntários fizessem as buscas logo depois do desaparecimento porque já estava escuro, informou a polícia, mas bombeiros iniciaram a procura ainda na terça-feira. A família do garoto está preocupada com a criança porque uma mancha de sangue foi encontrada perto do matagal.
O pai do menino desconfia que o sangue seja do filho, que pode ter sido baleado por engano. “Eu gostaria de coletar o meu sangue para fazer o exame de DNA para saber se é do meu filho”, disse Geraldo Braga. “A gente não consegue dormir direito só de pensar onde é que ele está, com quem ele está, se está com fome, se está com frio. É difícil para todos nós”, afirmou Eunice Lima, avó da criança desaparecida.

quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Silcade registra 95% de localização de crianças e adolescentes desaparecidos


A Polícia Civil, por meio do Serviço de Identificação e Localização de Crianças e Adolescentes Desaparecidos (Silcade), divulgou, nesta quarta-feira (26), os números de registros de casos de desaparecimentos de jovens na Grande Belém. Do total de 657 casos registrados em 2012, 634 já foram localizados, o que representa mais de 95% de índice de localização. Ainda estão desaparecidos 23 crianças ou adolescentes. A maioria dos casos de desaparecimento é de crianças ou adolescentes femininos, que correspondem a mais de 70% das ocorrências registradas na Divisão de Atendimento ao Adolescente (DATA), unidade vinculada à Diretoria de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAV).
Apenas no mês de dezembro, foram registrados 41 casos de desaparecimento no Silcade – 38 desaparecidos femininos e três masculinos. Do total, 23 jovens – 21 femininos e 2 masculinos - foram localizados. No ano passado, foram registrados 539 Boletins de Ocorrências de desaparecimento de crianças e adolescentes. Do total, dois ainda permanecem desaparecidos. De acordo com o coordenador do Silcade, investigador Edivaldo Carmo, a causa principal de desaparecimento de jovens ainda são as fugas do lar motivadas por conflitos familiares decorrentes de um relacionamento amoroso não aceito pelos pais.
As outras causas mais comuns que geram o desaparecimento são a não aceitação da orientação sexual do jovem e a liberdade exagerada por parte dos pais. O policial civil explica que o elevado índice de localização dos jovens desaparecidos é resultado, em grande parte, pela rapidez na comunicação do desaparecimento e pela divulgação da foto do jovem, por meio da imprensa e até por meio das redes sociais. “É válido reforçarmos que os pais não devem esperar 24 horas para fazer o registro do Boletim de Ocorrência, que deve ser registrada em qualquer Delegacia de Polícia”, explica. Ele ressalta que é importante os pais apresentarem uma foto mais recente possível do jovem desaparecido para ajudar nas investigações sobre o paradeiro dele.
Serviço
O Silcade fica nos altos do Centro Integrado de Atendimento ao Adolescente, na Rua dos Caripunas, entre Avenida Roberto Camelier e Rua Tupinambás, bairro do Jurunas. O serviço funciona de segunda à sexta-feira, em horário comercial. O telefone é o (91) 3272-0779. O e-mail do serviço é silcade@policiacivil.pa.gov.br.

Texto:
Walrimar Santos - Polícia Civil
Fone: (91) 4006-9036 / (91) 9941-3490
Email: walrimar@gmail.com

Polícia Civil do Estado
Av. Governador Magalhães Barata, nº 209. Bloco C. Bairro: Nazaré - Belém - Pará. CEP: 66040-903
Fone: (91) 4006-9094 / 3223-2963
Site: www.policiacivil.pa.gov.br Email: gabinetepcpa@gmail.com / delegadogeral@policiacivil.pa.gov.br

domingo, 23 de dezembro de 2012

Redes sociais, uma armadilha sexual para crianças indonésias


A insegurança cibernética na Indonésia recai sobre os setores mais vulneráveis da sociedade: as crianças, que, sob a aparente liberdade da web, correm o risco de ser vítima de predadores sexuais.


O caso de uma adolescente indonésia de 13 anos residente de Depok, Java Ocidental, que recebeu uma solicitação de amizade no Facebook de um desconhecido e aceitou por curiosidade, é um dos tantos ocorridos na nação asiática.

A menor e o homem conhecido pelo pseudônimo Yagi, trocaram números de telefone e as mensagens de texto entre ambos foram ficando cada vez mais frequentes.

Quando se conheceram pessoalmente, ele parecia ser encantador e ficaram de se ver de novo; no entanto, nessa ocasião, o homem, de 24 anos, levou a menor sem seu consentimento à cidade de Bogor.

Uma reportagem divulgada pela agência Antara News informou que a adolescente foi trancada em uma pequena habitação com pelo menos outras cinco garotas de 14 a 17 anos, foi drogada e estuprada.

Depois de uma semana de tortura, seu captor disse que a tinha vendido e a enviaria a Batam, ilha utilizada - segundo informações policiais - como destino ilícito de turismo sexual.

Mas o sequestrador decidiu abandoná-la no passado dia 30 de setembro em uma estação de ônibus ao não conseguir reunir o dinheiro para mandá-la à ilha, ao saber que seus pais e as autoridades a buscavam. Mas seu sofrimento não estava no fim; a jovem foi expulsa de sua escola porque a violação "prejudicava" a imagem da instituição.

Até agora em 2012, 27 das 129 crianças reportadas como desaparecidas na Indonésia foram sequestradas depois de se encontrar com seus captores graças ao Facebook, alertou a Comissão Nacional para a Proteção da Infância.

Neste último mês foram pelo menos sete denúncias desse tipo no país.

No arquipélago do sudeste asiático há cerca de 50 milhões de pessoas cadastradas na popular rede social, o que converte o país em um dos quatro com maior número de usuários.

Os adolescentes indonésios publicam fotos e informação pessoal sem mudar a configuração de privacidade e sem consciência dos perigos aos quais se expõem.

O Facebook assegura que seus pesquisadores revisam regularmente o conteúdo da página e trabalham com as autoridades, como a Organização Internacional de Polícia Criminosa Interpol, para combater a atividade ilegal através de seu serviço.

Levamos muito a sério o tráfico de pessoas e ainda que este comportamento não seja comum no Facebook, foram adotadas uma série de medidas para enfrentar a situação, informou o porta-voz da conhecida rede social, Andrew Noyes.

O Comitê Nacional contra o Tráfico Humano contabilizou 435 casos documentados de crianças que foram vítimas deste cruel crime. Mas muitos ativistas consideram que o número real é bem mais alto.

Com frequência menores desaparecidos não são reportados. O estigma e a vergonha unidos ao abuso sexual no país com a maior população muçulmana jogam um papel central, junto com a crença de que a polícia não fará nada.

Relatórios internacionais estimam que anualmente entre 40 e 70 mil menores caem nas redes do tráfico ilícito de seres humanos, pornografia ou prostituição na Indonésia, com uma população majoritariamente pobre de 240 milhões de habitantes.


fonte>>http://www.vermelho.org.br/al/noticia.php?id_secao=10&id_noticia=201978

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Adolescentes desaparecidos há 3 dias são encontrados mortos


Dois corpos de dois adolescentes, de 15 e 16 anos, foram encontrados na tarde desta última quinta-feira (20) em uma fazenda, localizada em Diamantino, cidade distante a 209 quilômetros da capital. De acordo com Vanessa Aguiar da Cunha, delegada da Policia Civil, os corpos das vítimas estavam em estado de decomposição avançado.

As vítimas, segundo registro dos familiares na Polícia Civil, estavam desaparecidas, desde a última segunda-feira (17), da cidade de Nortelândia, a 254 quilômetros de Cuiabá. Segundo a delegada, os dois corpos foram encontrados nus, um do lado do outro, em uma mata fechada, próximo a uma plantação de soja, na região que dá acesso à cidade de Nortelândia.

Ainda conforme a delegada, as vítimas foram identificas. “Trata-se de dois adolescentes que estavam desaparecidos da cidade de Nortelândia”, afirmou Vanessa Aguiar em entrevista do site G1. A delegada relatou que vai aguardar o resultado da perícia técnica para identificar melhor o crime.

“Os corpos estavam em decomposição e não dava para saber como os adolescentes foram mortos. O laudo vai apontar de que forma eles morreram”, disse a delegada. Porém, Rafael Diniz Garcia, delegado da Polícia Civil de Nortelândia, revelou que esses adolescentes são dois conhecidos da polícia. “Eles já tinham passagens na polícia por tráfico de drogas e roubo”, declarou ao site G1.   

No entanto, segundo Diniz, os suspeitos de matar e abandonar as vítimas já foram identificados.“Já identificamos os suspeitos do crime e estamos aguardando as investigações da Polícia Civil de Diamantino para prosseguirmos com o inquérito”, concluiu o delegado.


Família deodorense procura por criança desaparecida


desaparecido1

A família do menor Cicero Jacinto de Oliveira Junior, mais conhecido como JUNINHO de 06 anos de idade, desapareceu hoje dia 20 de dezembro de 2012 por volta das 11:30hs.
O mesmo trajava fardamento da escola Maria de Araújo Lobo onde o mesmo estudava.
O mesmo é filho do Pelé da Batatinha, morador da Rua dos Cajueiros em Marechal Deodoro.
Da última vez que Juninho foi visto ele estava em uma lan-house da região.
Quem souber qualquer noticia do mesmo favor entrar em contato com os telefones 9188-5419 / 8163-8940.

DAVI MARTINS DA SILVA

KELLISON MAGALHÃES MACEDO

LUANA SANTOS DA SILVA

FERNANDA CERQUEIRA VIEIRA

Polícia procura em todo o país mulher suspeita de matar filhos em Alenquer

A casa onde a família vivia na localidade de Preces, em Alenquer


A casa onde a família vivia na localidade de Preces, em Alenquer
A GNR e a Polícia Judiciária (PJ) alargaram nesta quinta-feira a todo o país as buscas à mãe das duas crianças mortas em Alenquer, lançando alertas para as autoridades fronteiriças, já que a progenitora é estrangeira.
As duas crianças, uma menina de um ano e um menino de três, foram encontradas mortas numa casa na localidade de Preces, freguesia de Cadafais, em Alenquer, depois de um incêndio na habitação na noite de quarta-feira.

A polícia suspeita que as crianças possam ter sido assassinadas pela própria mãe, que está desaparecida. A GNR tem, por isso, em curso uma operação de localização da mulher, de nacionalidade brasileira, em cooperação com a Polícia Judiciária, “por existirem forte indícios de que as duas crianças foram mortas e por recaírem sobre a mãe as suspeitas da prática do crime”, disse fonte da GNR.

As buscas incluem agentes da PJ, que assumiu entretanto a investigação do caso, e militares da GNR. As autoridades, segundo indicou fonte da Polícia Judiciária ao PÚBLICO, mantêm nesta altura todas as hipóteses em aberto, desde o cenário de fuga à eventualidade de a mulher ser encontrada já sem vida.

A GNR de Alenquer foi chamada à casa rural cerca das 22h de quarta-feira, quando as crianças foram encontradas sem vida. O PÚBLICO apurou que o caso chegou ao conhecimento das autoridades através de uma chamada telefónica da sogra da cidadã brasileira, que, pelas 22h05 de quarta-feira, alertou a GNR de Alenquer, afirmando que a nora dizia ter morto os dois filhos pequenos.

A GNR dirigiu-se ao local e solicitou também a presença dos bombeiros, que, quando chegaram ao largo central da pequena localidade de Preces, encontraram já a habitação a arder.

“O incêndio foi extinto muito rapidamente, em dez minutos. Havia era muito fumo e foi mais difícil chegar às crianças”, explicou Rodolfo Batista, comandante operacional municipal de Alenquer, frisando que, segundo os bombeiros que chegaram até aos corpos, o fogo consumiu essencialmente um amontoado de roupa e um colchão do quarto.

“A informação que temos dos bombeiros é que o quarto estava fechado, com a porta trancada e sem chave”, salientou Rodolfo Batista, explicando que a morte das crianças se deveu à inalação dos fumos que se acumularam no quarto. Os menores ainda foram assistidos pelo INEM, sem sucesso.

O fogo não chegou a espalhar-se pelo resto da residência, nem causou danos nas casas vizinhas. E o desenlace causou muita surpresa na terra. O pai das crianças chegava também a casa naquela altura, quando se apercebeu da situação. Rodolfo Batista adianta que se trata de “uma casa de uma família normal” com algumas condições e que os sogros da cidadã brasileira frisavam que não entendiam por que é que isto acontecera.

“A avó dizia que todos os dias estava com as crianças, que tinham brinquedos, tinham tudo. Não percebe por que é que isto aconteceu”, acrescenta o responsável operacional, referindo que nas pessoas que se aglomeraram no local não havia conhecimento de desentendimentos que pudessem motivar uma situação destas. “Dizem que nada levava a crer que isto acontecesse”, referiu ao PÚBLICO.


fonte>>http://m.publico.pt/Detail/1578089
 

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

Polícia procura criança desaparecida há 15 dias


Davi Martins da Silva, 12 anos
Davi Martins da Silva, 12 anos
A delegada Barbara Arraes, da Delegacia Especial dos Crimes Contra Crianças eAdolescentes da Capital (DECCCAC), divulgou na manhã desta quarta-feira (19), a foto de Davi Martins da Silva, 12 anos, desaparecido desde o início do mês de dezembro, no Benedito Bentes, em Maceió.
Davi Martins possui problemas psicológicos e fugiu de casa. Sua mãe está muito aflita e afirmou que o menino já fugiu diversas vezes e sempre é encontrado andando em lojas, praias ou praças.
Com a divulgação da foto do menor, a delegada Barbara Arraes, espera que a população ajude com informações, caso seja visto em algum lugar.
Quem tiver informações sobre o paradeiro de Davi Martins, deve ligar para o número: 3315-9941 ou para o Disque Denúncias: 181.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Crianças de seis e sete anos foram mortas com tiros de fuzil

Crianças de seis e sete anos foram mortas com tiros de fuzil Emmanuel Dunand/AFP
Anjos d
Anjos de madeira foram confeccionados em memória a crianças mortas

O pior massacre da terrível história de ataques armados contra escolas dos Estados Unidos matou 20 crianças com entre seis e sete anos, com vários disparos de fuzil de assalto, informaram as autoridades neste sábado, um dia após a tragédia que abalou o mundo.

O ataque, praticado por um jovem de 20 anos — identificado pela imprensa como Adam Lanza — ocorreu na escola Sandy Hook, na pacata cidade de Newtown, emConnecticut, e acabou com a vida de doze meninas e oito meninos do primeiro ano do ensino fundamental.

Em um impressionante relato, o chefe do instituto médico legal de Connecticut, Wayne Carver, revelou que "todos os ferimentos são de arma de grosso calibre", certamente do fuzil de assalto encontrado no local.

— Foi a pior cena de crime que já vi em 30 anos como legista — revelou Carver aos jornalistas.

Carver foi auxiliado por outros quatro médicos legistas e dez técnicos, e fez a autopsia pessoalmente em sete vítimas, todas atingidas por "entre três e 11 disparos" cada.

Segundo o médico, apenas duas das sete vítimas que examinou "foram atingidas por disparos a queima-roupa". 

— Não tenho detalhes sobre os demais óbitos.

Carver e os demais legistas ainda não examinaram o corpo do suposto assassino, que teria cometido suicídio. O jovem foi encontrado ao lado de duas pistolas e um fuzil de assalto, às 9h50min local de sexta-feira. As primeiras informações indicam que ele atirou por quase 20 minutos. 

A polícia confirmou que dos 20 alunos mortos, 16 tinham seis anos e quatro, sete anos. Os adultos mortos são seis mulheres, a mais velha com 56 anos, incluindo a diretora da escola, Dawn Hochsprung, e a psicóloga, Mary Scherlach.

Em outro depoimento impressionante no dia seguinte ao massacre, uma jovem professora revelou como conseguiu esconder seus 15 alunos pequenos em um banheiro durante o ataque.

Lutando para conter o choro, Kaitlin Roig relatou à emissora ABC a odisseia por que passou para salvar seus alunos durante o massacre da escola Sandy Hook. 

— Disse a eles: 'saibam que amo muito vocês'. Pensei que seria a última coisa que ouviriam, pensei que todos íamos morrer.

Os 15 alunos e a professora se esconderam em um banheiro escuro, enquanto do lado de fora o atirador matava crianças e professores.

Estavam aterrorizados e a professora decidiu começar um jogo para distraí-los, apesar do temor de saber que tanto ela quanto as crianças, com idades entre seis e sete anos, poderiam ser as próximas vítimas.

— Disse a eles que havia meninos maus do lado de fora e que tínhamos que esperar pelos meninos bons — contou Roig.

A polícia revelou neste sábado que o atirador "não teve o ingresso permitido na escola, eforçou a entrada" no local para cometer o massacre.

— Nossos investigadores na cena do crime, a escola, e na cena do crime secundário conseguiram muito, mas muito boas provas que poderão utilizar para determinar o panorama completo de como, e mais importante, porque, isto aconteceu — disse o tenente Paul Vance.

Uma mulher que sobreviveu ao tiroteio na escola é apontada como testemunha chave para a investigação. 

— Ela está bem, sendo atendida, e seu depoimento será decisivo — afirmou Vance.

O presidente Barack Obama voltou a se dirigir ao povo americano neste sábado — após oemotivo discurso da véspera — para pedir que seja solidário com os familiares das vítimas do massacre, e defendeu "medidas decisivas" para evitar estas "tragédias".

— Este fim de semana, Michelle e eu estamos fazendo o que sabemos que todo pai está fazendo: mantendo nossos filhos o mais perto possível e recordando o quanto os amamos — disse Obama, pai de Sasha, 10 anos, e Malia, 14.

— Há famílias em Connecticut que não podem fazer isto hoje. E eles precisam de todos nós agora — completou Obama em seu programa semanal de rádio.

— Nada pode substituir um filho ou um parente desaparecido, mas podemos estender a mão aos que precisam, para recordá-los que estamos aqui para eles, que rezamos por eles e para que o amor que sentiam por aqueles que perderam não permaneça apenas em suas memórias, mas também em sua comunidade e em seu país — disse.

— Cada pai nos Estados Unidos tem o coração pesado de dor — destacou.

Como na véspera, Obama destacou que o massacre deve representar o sinal de que é necessário "tomar medidas significativas para impedir tais tragédias. Independente da política policial".

 
Moradores prestam homenagens às vítimas em Connecticut com balões brancos
Foto: Emmanuel DUNAND/AFP


Massacres mortais são uma ocorrência frequente em espaços públicos nos Estados Unidos, e só costumam terminar quando o atirador é morto ou se suicida.
No acontecimento recente de maior notoriedade, em julho deste ano, James Holmes, um jovem de 24 anos, teria matado 12 pessoas e ferido outras 58 quando abriu fogo contra a sessão da meia-noite do último filme de Batman em um cinema de Aurora, Colorado.
Apesar destas tragédias, o apoio a leis mais duras para o porte de armas é controverso, com muitos americanos contrários a restrições àquilo que consideram um direito constitucional de manter armas de fogo potentes em casa.
Veja o local do massacre em Newtown, Connecticut:

sábado, 15 de dezembro de 2012

Desaparecido>>Kellison Magalhães Macedo


 



Kellison Magalhães Macedo, de 12 anos, desapareceu na última sexta-feira (30/11/2012) por volta das 13h no Bairro Santa Rita – Cabanas, em Mariana. Segundo o pai, João Afonso de Castro Macedo, o menino estava usando short cinza, camiseta preta com a estampa de um dragão, tênis branco com cadarços coloridos e um relógio de pulso azul claro.
O menino tem cerca de 1,48 de altura e foi visto pela última vez no domingo (02), no Cabanas. Kelisson ainda foi visto no dia do desaparecimento, por volta de 16h no Posto Raul, de bicicleta, e no sábado (01) na Rua Wenceslau Brás. As pessoas que encontraram o menino não sabiam da situação.
Qualquer informação ligar no números (31) 9643-5160 e (31) 9832-9197, ou no Jornal Ponto Final pelo e-mailredação@jornalpontofinal.com.br, ou pelo telefone 3557-4004.

Menor Está Desaparecida Desde Sexta-Feira (07) Em Itororó


A família de Luana Santos da Silva, de 16 anos, está a sua procura desde sexta-feira (07), quando por volta das 19h, a jovem saiu da casa de sua avó e não voltou mais. Segundo informações, a menor tinha cumprido com sua rotina normal na sexta-feira, sem nenhum tipo de transtorno.
A sua avó não notou quando Luana saiu só veio perceber quando a neta já tinha sumido. Quem tiver alguma informação sobre paradeiro de Luana Santos da Silva pode entra em contato com a família pelo número (73) 99368751.

JOVEM DESAPARECIDA


 Fernanda Cerqueira Vieira ela tem 17 anos ;mora em itabuna
está desaparecida desde dia 22 de novembro, ate agora nenhuma informação sobre ela
sua mae está desesperada por noticias dela...
pois saiu de casa com a roupa do corpo ..sem levar se quer seu documento

ela foi levada de casa a noite..por um rapaz conhecido como ''Val''...
a unica informação sobre ele que tivemos foi que ele estava aqui na cidade hopedado no Hotel Odete

a mae dela foi ate a delegacia  dar queixa mais temos medo.....pois falam que ele é traficante muito perigoso
 gente Pelo amor de Deus quem tiver alguma informação nos ajudem a Familia e Amigos estão totalmente desesperados por alguma noticia
 (73)8853-9495
(73)8883-0525

PMs envolvidos em troca de tiros onde criança desapareceu são ouvidos em Conquista

Maicon Batista Braga, 9 anos, desapareceu no dia 4 deste mês


Os policiais militares envolvidos na troca de tiros que precederam o desaparecimento de Maicon Batista Braga, 9 anos, foram ouvidos nesta quinta-feira (13) na 1ª Delegacia Territorial do município de Vitória da Conquista, sudoeste baiano.



Segundo informações da 1ª DT, que investiga o caso, os policiais começaram a prestar depoimento ao delegado titular Suzano Sullivan por volta das 9 horas e terminaram cinco horas depois, às 14 horas.

A criança desapareceu no dia 4 deste mês. Maicon estava brincando com amigos em um matagal quando um grupo de adolescentes chegou ao local e minutos depois iniciaram uma troca de tiros com policiais. Os jovens são apontados, segundo a polícia, como suspeitos de envolvimento com o tráfico de drogas.

Os amigos do menino correram para se proteger dos disparos e foi nesta confusão que Maicon se perdeu e desapareceu. Uma mancha de sangue foi encontrada próximo ao matagal. Em entrevista a TV Bahia, Geraldo Braga, pai de Maicon, acredita que a macha é filho que pode ter sido atingido por uma bala perdida.

Uma mostra do sangue foi coletada pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) da cidade para ser comparado com os dos pais da vítima, que continua desaparecida.



Mancha de sangue encontrada perto de matagal (Foto: Reprodução/TV Bahia)

FONTE>>http://www.correio24horas.com.br/noticias/detalhes/detalhes-2/artigo/pms-envolvidos-em-troca-de-tiros-onde-crianca-desapareceu-sao-ouvidos-em-conquista/
*

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

CARLA CARMILA E CRISLAINE

YOHAN E YAN

Crianças levadas pelo pai no Recife continuam desaparecidas


e85f01ff8b8a2cdc5ae8a4d991392dee.jpg
Internautas compartilham imagens das crianças e do pai nas redes sociais; quem avistá-los deve ligar para a Polícia
Foto: Reprodução/ Redes Sociais

Vanessa Silva
Do NE10/ Paraíba
Dois estados estão em alerta por causa do desaparecimento dos meninos Yohan, de 6 anos e Yan, de 5. Pernambuco e Paraíba, territórios vizinhos, estreitaram ainda mais os laços esta semana movidos pela comoção em torno das duas crianças que foram levadas pelo pai no último dia 10 de novembro para um passeio e desde então não voltaram para casa. Mais um dia se passou sem que a dona de casa Juliana Aciolly, 35, tenha notícias dos filhos. As buscas continuam, sobretudo em João Pessoa e Recife, encabeçadas pelos amigos e familiares. Para a Justiça, o caso se caracteriza como desobediência judicial.

Segundo o juiz da 9ª Vara de Família de Pernambuco, João Targino, já foram expedidos mandados de busca e apreensão das crianças nos dois estados. As investidas, porém, não trouxeram resultados. "Infelizmente, as crianças não foram localizadas. Tudo o que estava ao alcance foi feito, inclusive com grande agilidade. Tanto a solicitação de audiência quanto o despacho dos mandados para Pernambuco e Paraíba foram atendidos em tempo recorde, principalmente levando em consideração a nossa demanda nesta época", destacou o magistrado.

De acordo com Juliana, o pai pegou Yohan e Yan no último dia 10, em casa, no bairro de Setúbal, Zona Sul do Recife, em visita autorizada judicialmente. Depois da separação, há cerca de seis anos, Antônio ganhou direito de ver os filhos a cada duas semanas. Mas desta vez ele não os trouxe de volta após o passeio e não é possível localizá-lo por telefone. Os pais de Antônio, que também vivem em Setúbal, afirmaram que já não falam com ele há mais de um mês.

Após prestar queixa na Delegacia de Boa Viagem e na Gerência de Polícia da Criança e do Adolescente (GPCA), a mãe passou a procurar os garotos por conta própria em João Pessoa, local onde Antônio morava. "Tenho dois endereços dele e não encontrei em nenhum. Também liguei para o trabalho dele logo nos primeiros dias que não consegui contato e descobri que abandonou o serviço desde agosto", contou em entrevista ao NE10. "Tenho medo que, com o passar do tempo, ele se esconda ainda mais. Por ser pai dos meninos, não está proibido de viajar para outros estados, por exemplo", lamentou a mãe.

Apesar dos departamentos de trânsito de Pernambuco e da Paraíba, além da polícia Rodoviária Federal (PRF) dos dois estados terem sido alertadas pela Justiça, não estão sendo realizadas diligências para encontrar as crianças. A ordem precisaria partir de um juizado criminal. Quem tiver qualquer informação que possa levar a Antônio e as crianças deve denunciar à polícia imediatamente através do 190.

Denúncias de violência contra crianças no estado dobrou em 2012


De janeiro a novembro do ano passado foram registradas no Maranhão 4.859 denúncias de violência contra crianças através do disque 100. Este ano já são mais de 7.000 denúncias, um aumento que chega a 57%. Os dados são de um relatório divulgado esta semana pela Secretaria dos Direitos Humanos.
“Isso é um problema histórico e cultural no Brasil. O país sempre foi tolerante com essas agressões de pais com os filhos. Hoje, se um homem agride uma mulher, ele imediatamente é preso, porque ninguém aceita mais. Parece que a polícia também encara a agressão a uma criança com normalidade, mas não é normal. Isso é um absurdo”, disse o juiz da Infância e da Juventude, Delvan Tavares.
Em Imperatriz, a segunda maior cidade do estado, os registros do Conselho Tutelar da área confirmam os dados do relatório da Secretaria de Direitos Humanos. Este ano, 573 casos de violência contra crianças foram confirmados e encaminhados à justiça. Só no bairro Santa Rita foram 18 casos de abuso sexual, 55 de negligencia, 17 de aliciamento e 25 de agressões físicas.
“Muitas vezes você acha que é uma família desinformada, mas não. Há famílias consideradas bem estruturadas financeiramente que há casos de agressão familiar”, contou o conselheiro tutelar, João Gualberto.
Esta semana, o conselho tutelar recebeu a denúncia de mais um caso chocante de violência contra criança. Um menino de apenas 8 anos teve as duas mãos queimadas e cortadas com uma faca quente pelo próprio pai. O motivo teria sido porque ele pegou um brinquedo de um supermercado.
Oito dias após o ocorrido, ainda é possível ver a gravidade das queimaduras e dos cortes nas mãos da criança. “Ele pegou uma faca, colocou no fogo e me queimou. Ainda me bateu de corda. Eu fiquei só gritando”, disse a criança.
Ele está abrigado na casa de passagem. O menino que foi retirado da família e agora vai passar pelo exame de corpo de delito. O relatório do Conselho Tutelar foi encaminhado ao Ministério Público, à Vara da Infância e à policia, mas isso não é garantia de que o agressor será punido.

DUAS MENINAS DE 9 E 11 ANOS DE IDADE ESTÃO DESAPARECIDAS NA CIDADE DE HIDROLÂNDIA. FAMILIARES ESTÃO DESESPERADOS.


quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Buscas por criança desaparecida continuam



Familiares de Yann Pablo, de um ano e sete meses, desaparecido desde o dia 2 de dezembro juntamente com a mãe Marta Aparecida Bueno, 43 anos, continuam à sua procura.

Segundo a avó da criança, Luíza Massako Sumida,  toda a família está angustiada. “Até agora não sabemos o paradeiro do menino e ainda existe a dúvida se ele está vivo ou não. Sinto muito a falta dele, pois era eu quem cuidava dele e da mãe enquanto o pai saía para trabalhar. A polícia também não tem nenhuma pista. Gostaria que quem soubesse de qualquer informação repassasse para família ou para a polícia”, disse a avó.


O drama da família aumentou depois que o corpo da mãe da criança foi encontrado boiando às margens do Rio Vermelho, na região de Fátima de São Lourenço.
Quem souber do paradeiro da criança pode entrar em contato pelos telefones (66) 3422-2397/9901-2739/9932-7442 ou 9952-4613.


FONTE>>http://www.atribunamt.com.br/?p=115129