domingo, 21 de outubro de 2012

TRAFICO DE PESSOAS É CHOCANTE

DESAPARECIDOS

CRIANÇAS DESAPARECIDAS
- AJUDE NESTA CAUSA - DIVULGUE - DENUNCIE OS ABUSOS-


Porque pessoas somem, desaparecem sem deixar vestígios?
Por que não há interesse do governo em solucionar este grave problema?

Crianças somem todos os dias, são milhares ao ano. Poucas são recuperadas.

Elas são vítimas inocentes dos atos mais vís que um ser humano pode praticar. Elas sucumbem nas profundezas escuras habitadas por monstros pedófilos, quadrilhas ligadas ao tráfico humano para trabalho escravo e prostituição infantil e a máfia do tráfico de órgãos que assassina milhares de crianças todos os anos.

Para os pais fica a dor, a revolta e a terrível sensação de impotência diante deste mundo de crime organizado, comandado pela elite abastada sob o aval de políticos perversos que fingem nada ver, deixando a porta aberta para a continuidade dessa prática hedionda de crimes contra nossas crianças.
Este pequeno espaço é uma extrenção do site Desaparecidos do Brasil e alguns casos de desaparecimentos (crianças e adultos) serão divulgados aqui também.

CRIANÇAS DESAPARECIDAS NO BRASIL





Tráfico de Órgãos - Denúncia - Veja também o site de Paulo Pavesi.





http://www.youtube.com/watch?v=kK1DR7G8BsE&feature=player_
Tráfico de pessoas - Não feche os olhos para este mal


FONTE

http://rosaouespinho.blogspot.com.br/p/desaparecidos.html

*
TRAFICO INTERNACIONAL DE CRIANÇAS


Hoje estas crianças vítimas, procuram suas famílias biológicas no Brsil: : Em ISRAEL eles procuram seus pais biológicos no Brasil

1980 - Auge do tráfico Internacional de Crianças no Brasil

Nos anos 80, é desvendada uma das maiores quadrilhas de tráfico internacional de crianças, que atuava principalmente nos estados do Sul do Brasil e vendiam suas vítimas num esquema ilegal de adoção para casais da Europa, América e principalmente Israel, a preços milionários.

Arlete Hilu

Em 1986 Arlete Hilu é denunciada por tráfico internacional de crianças e acusada de vender bebes para casais estrangeiros a preços que variavam de 5mil a 50 mil dólares por criança. É presa em 1988 e concedida a liberdade condicional em 1990 quando criou outra operação de tráfico de bebes nos quatro estados do Sul, sendo presa novamente em janeiro de 1992 quando então cumpriu nova pena e foi posta em liberdade.
Geovani Barros de Azevedo, porta-voz da polícia federal no Rio de Janeiro (86) em entrevista disse que as adoções ilegais por estrangeiros tornaram-se um grande negócio onde Israel, Inglaterra e Canadá eram os países que mais buscavam por adoções, principalmente crianças do sul devido sua descendência européia.

Falsas promessas

Mulheres disfarçadas de assistentes sociais procuravam por mulheres grávidas e as convenciam a entregar seus bebes assim que nascessem.
“As mães eram levados a acreditar que poderiam visitar seus filhos sempre que elas quisessem e que se elas mudassem de idéia mais tarde, ainda poderiam ter seus bebês de volta”, disse Santana, ex-chefe da polícia em Itajaí, SC. Só em Itajaí a quadrilha vendeu cerca de 500 crianças, a maioria para Israel.

Roseli Jorge, uma das mães enganadas, conta: “Eles roubaram a minha filha…Eu quero ela de volta, mas eu nunca vou vê-la novamente.” “Quando eu estava prestes a dar à luz, uma mulher me levou para o hospital e me deu 600 cruzados ($ 43) e uma folha de papel em branco para assinar o que ela disse ser um recibo pelo pagamento. A mulher disse que era uma assistente social e que o dinheiro seria para comprar roupas para o bebê. ”
Roseli deu a luz uma menina de olhos azuis e a chamou de Daniela. Quando ela ia levar sua filhinha para a mãe, a assistente social pegou o bebe dizendo que o que ela havia assinado era um papel de adoção.

Segundo a polícia, Daniela foi adotada por um casal israelense em 1985.


Carlos Cesário Pereira

Em junho daquele ano, a Polícia Federal invadiu a casa do advogado Carlos Cesário Pereira também envolvido no tráfico, uma maternidade e vários pontos secretos em Itajaí, no Sul de Santa Catarina, onde foram recuperadas 20 crianças. Carlos Pereira tinha um verdadeiro exército de enfermeiros, médicos, parteiras, funcionários do judiciário e da imigração, motoristas e compradores de bebes em sua folha de pagamento, que atuavam nos três estados do Sul.
Os casais estrangeiros eram levados para uma elegante casa de campo nos arredores de Itajaí, onde poderiam passar o dia e conhecer os recém nascidos trazidos de vários locais.

Pereira disse: “Muitas dessas crianças morreriam antes de um ano se permanecessem em seu habitat natural de extrema pobreza”

Já o ex- policial Santana disse: “A venda de bebes precisa ter um fim porque não se pode por um preço em cima de uma vida humana”.


Pais adotivos enganados

Os estrangeiros também eram enganados ao serem procurados por advogados, nem sempre idôneos, que contornavam as dificuldades burocráticas da lei brasileira, facilitando e agilizando a adoção. Ansiosos por adotar de forma rápida, não imaginavam que estavam infringindo a lei. Os traficantes mentiam para os pais adotivos dizendo que a regulamentação custava em torno de $ 5.000 a $ 10.000 dólares por criança. Na realidade a documentação toda não passava de 500 dólares.

“Não é o suficiente apenas punir os traficantes”, disse o Dr. Jose Raimundo da Silva Lippi, presidente da Associação Brasileira de Prevenção do Abuso Infantil. “Precisamos agilizar o processo de adoção para impedir esse tipo de coisa.”


FONTE
http://rosaouespinho.blogspot.com.br/p/trafico-internacional-de-criancas.html

*

Ministério Público da Bahia investiga tráfico de crianças


Denúncias revelaram irregularidades na adoção de crianças saídas de regiões humildes



Brasília – A suspeita de que traficantes de crianças vêm atuando na Bahia há algum tempo motivou o Ministério Público Estadual (MP) a iniciar investigação para apurar a ação dessas quadrilhas. O inquérito criminal, segundo o promotor de Justiça Luciano Taques Ghignone, foi instaurado no último dia 26 de setembro, antes da denúncia exibida no programa Fantástico, da Rede Globo, no domingo passado (14).

A reportagem televisiva denunciou o caso de um juiz do município de Monte Santo, no sertão baiano, que autorizou que cinco crianças de uma mesma família de lavradores fossem retiradas dos pais e entregues a quatro casais de São Paulo. As adoções motivaram pronunciamento da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Tráfico de Pessoas e do Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

“A apuração do suposto tráfico de crianças envolve outras situações que podem ou não ter conexão com os processos relativos às cinco crianças de Monte Santo - nos quais o Ministério Público também identificou algumas irregularidades formais - mas que não podem ser confundidos”, informou o promotor à Agência Brasil.


FONTEhttp://exame.abril.com.br/brasil/noticias/ministerio-publico-da-bahia-investiga-trafico-de-criancas

Nenhum comentário:

Postar um comentário