quinta-feira, 28 de fevereiro de 2013

Cães protegem criança perdida de dois anos no oeste de SC




Uma criança de dois anos que estava desaparecida no Oeste de Santa Catarina foi encontrada por volta das 7h45 da manhã deste sábado, dia 23. De acordo com o Corpo de Bombeiros, o menino de dois anos desapareceu por volta das 20h de sexta-feira. dia 22, próximo a uma plantação de soja da cidade de Pinheiro Preto, onde morava. Conforme o bombeiro Fumagalli, que auxiliou no resgate, o menino estava de bermuda, sem camisa, com alguns arranhões e na companhia de dois cachorros.

Segundo Fumagalli, a criança estava brincando próximo à casa quando familiares da criança notaram a ausência. "Possivelmente o menino queria ir até a casa da tia, trajeto que costumava fazer. Porém, as casas são semelhantes e no meio há essa lavoura, então ele se perdeu e foi até uma casa fechada, depois deve ter pegado no sono. Os cachorros Lili e Fred estavam com ele e ajudaram a aquecê-lo durante a noite”, por isso ele não se desesperou", contou o bombeiro.

De acordo com o tenente Fazzioni, a noite foi de temperaturas amenas na região e é possível, inclusive, que os cachorros tenham ajudado a protegê-lo do frio. "Nós estávamos de manga comprida, de casaco, e ele estava só de bermuda e ainda dizendo que estava bem", comentou o tenente.

Ainda segundo Fazzioni, antes de sumir o menino derrubou o aparelho de TV em casa. "É possível que ele tenha fugido com medo de uma represália, mas quando ele foi encontrado só dizia que tinha fugido pra ir até a casa da tia. Ele até comentava que sabia que ela não estava em casa porque estava procurando ele", relatou o bombeiro.

A criança foi encontrada já acordada, procurando o caminho de casa. "A soldado Luciane chamou ele e brincou: o que você está fazendo aí, guri? Você devia estar em casa tomando café! Depois pegou ele no colo e já comemoramos", disse Fazzioni.

"Vimos a cabeça dele e chamamos pelo nome. Inicialmente ele se escondeu, assustado, aí continuamos chamando até ele aparecer. Quando perguntamos onde ele estava e se não tinha ouvido ninguém chamar por ele, respondeu: 'Dormi perto de um buraco. Fui até a casa da tia, mas ela não estava, tinha saído para me procurar, daí eu tive que dormir fora'. Fizemos algumas brincadeiras e logo ele estava faceiro", contou Fumagalli.

Cerca de 30 bombeiros de Joaçaba, Videira, Curitibanos e Tangará participaram da Operação. A equipe de cães farejadores de Xanxerê e Curitibanos também auxiliaram no resgate.

Autonomia de menino de dois anos que fugiu de casa surpreende até psicóloga


Catarinense de Pinheiro Preto, no Meio Oeste, passou quase 13 horas longe da família

Autonomia de menino de dois anos que fugiu de casa surpreende até psicóloga Alexandre Lopes/Especial
A escuridão e a distância da família, que poderiam assustar crianças de dois anos não intimidaram Victor Henrique Rodrigues. O menino ficou quase 13 horas fora de casa, da noite de sexta-feira para sábado, por ter se perdido. Para a professora de Psicologia da Univali, Léia Viviane Fontoura, tanta autonomia nessa faixa etária não é comum, pois as crianças prezam pela proximidade dos parentes. 

Mas, para ela, não há motivo para alarde. Em função da idade, Victor ainda não desenvolveu a noção do perigo e nem do certo ou errado, facilitando para que ele fugisse de casa. 

- A criança tem o ímpeto de fazer as coisas, sem saber as consequências - expõe. 

Apesar do susto da família, a psicóloga acredita que o menino não terá traumas futuros. Além de ser pequeno, Victor não foi encontrado com muito medo ou doente, contribuindo para que ele esqueça a madrugada fora de casa. 

Mesmo assim, daqui para frente, ela sugere que a família fique atenta ao comportamento do menino, se terá pesadelos ou se vai chorar muito. Nesses casos, poderia ser necessário um acompanhamento profissional. 

A família também pode aproveitar a situação que passou para explicar o risco a que ele foi exposto. Fora isso, a recomendação para a família de Victor e para as outras famílias com crianças pequenas é a mesma: 

- É preciso cuidar com portões abertos, com o que criança consegue acessar. A criança está experimentando a vida, gosta de aventura, é preciso ficar de olho - ressalta.

Entrevista com Sirlei Rodrigues, mãe do menino
Foram 13 horas longe do filho de dois anos e uma noite angustiante, em claro. A vendedora Sirlei Rodrigues, 19 anos, conta como foi o susto de não encontrar o pequeno Victor e o alívio de tê-lo novamente nos braços. 

Diário Catarinense - Como foi que ele sumiu? 
Sirlei Rodrigues -
 Ele estava brincando com a motoca na frente de casa e, em questão de cinco minutos, ele desapareceu. Era perto das 18h de sexta-feira. 

DC - Ele já tinha saído de casa sozinho? 
Sirlei -
 Não, nunca. Ele sempre ia até a casa da tia, mas com a gente. 

DC - Para você, o que o ajudou para que ficasse bem, mesmo ficando tanto tempo sozinho? 
Sirlei -
 Foi um milagre mesmo. Mas ele é muito esperto, até sabia que estavam procurando por ele. Ele não respondeu porque se assustou com tanta gente. 

DC - Por que você acha que ele quis fugir? 
Sirlei -
 Ele queria sair com o avô dele, mas o avô disse que ia buscar a outra neta e depois ia buscá-lo para andarem um pouco por perto da casa. Mas aí ele tentou ir para a casa da tia e se perdeu. Já estava escuro. Ele até sabe o caminho, mas tinha muito mato e estava escuro. Acho que ele foi mesmo atrás do meu padrasto, que tinha dito que ia passear com ele depois. Eles são muito grudados. 

DC - O que vai mudar daqui para frente? 
Sirlei -
 Vai ser um cuidado redobrado com ele. Não vou tirar o olho dele.

Projeto de resolução cria rede estadual de apoio a crianças desaparecidas


Com a leitura do expediente da sessão desta quinta-feira (28/02) da Assembleia Legislativa, iniciaram tramitação um projeto de resolução, três projetos de lei e um de indicação.

O projeto de resolução 03/13, de iniciativa do deputado Rogério Aguiar (PSD), cria a Rede Estadual de Apoio e Divulgação de Imagens de Crianças e Adolescentes Desaparecidos, vítimas de possível tráfico humano, em convênio com as câmaras municipais do Estado do Ceará.

O projeto de lei nº 20/13, de autoria do deputado Nenen Coelho (PSD), dispõe sobre a afixação de cartazes em estabelecimentos de saúde que realizem atendimento médico-hospitalar emergencial, contendo a mensagem: ?constitui crime a exigência de cheque-caução, nota promissória ou qualquer garantia, bem como o preenchimento prévio de formulários administrativos, como condições para o atendimento médico-hospitalar emergencial?.

Já o projeto de lei nº 21/13, da deputada Eliane Novais (PSB), concede o Título de Cidadão Cearense a Bernd Josef Rosemeyer. O projeto de lei nº 22/13, do deputado Sineval Roque (PSB), denomina Padre Agamenon de Matos Coelho a Rodovia CE-375 no trecho que liga os municípios de Assaré e Tarrafas.

Por fim, o projeto de indicação nº 20/13, de autoria de Eliane Novais, acrescentaparágrafo único ao Art. 153 da lei nº 9.826, de 14 de maio de 1974, que dispõe sobre o Estatuto dos Funcionários Públicos do Estado do Ceará.

Bombeiros retomam buscas por criança desaparecida no Canal de Marapendi


Rio -  Equipes de mergulhadores do Corpo de Bombeiros reiniciaram na manhã desta quinta-feira as buscas pelo menino que pulou na água do Canal de Marapendi, na Barra da Tijuca.
A criança, em companhia de outros menores, atirava pedras em veículos que passavam pela Avenida Ayrton Senna, na tarde desta quarta. O motorista de um coletivo parou para repreende-los. Ele chegou a alcançar um ou dois meninos para entrega-los à Guarda Municipal. Outros três pularam da ponte que liga as avenidas Lúcio Costa e Ayrton Senna, para dentro canal.
Duas crianças foram retiradas da água, mas o terceiro desapareceu. Os bombeiros iniciaram as buscas pelo menino ainda na tarde desta quarta, quando o caso aconteceu. À noite, as buscas foram interrompidas. Pouco antes das 7h desta quinta, os mergulhadores voltaram a procurar o desaparecido. Nenhum familiar apareceu na 16ª DP(Barra) pararegistrar o desaparecimento.

Câmara de Maringá vota manutenção de cartazes de crianças desparecidas em ônibus e repartições públicas

Na sessão desta quinta-feira (28) os vereadores de Maringá devem votar apenas uma proposta em primeira discussão. Trata-se do projeto do Dr. Manoel Álvares Sobrinho (PCdoB) dispondo sobre a manutenção de cartazes nos ônibus do transporte coletivo e nas repartições públicas com fotos e informações sobre crianças desaparecidas e também os telefones dos órgãos que recebem as denúncias

fonte>>http://maringa.odiario.com/maringa/noticia/728233/camara-vota-manutencao-de-cartazes-de-criancas-desparecidas/


domingo, 24 de fevereiro de 2013

Escola é mais propícia para a violência

Os estudantes são, ao mesmo tempo vítimas e algozes dos crimes em que se envolvem
 Para uma parcela dos sorocabanos, a escola é o local mais propício para a violência e, na opinião dessas pessoas, isso se deve ao sistema de proteção às crianças e adolescentes (Estatuto da Criança e Adolescente - ECA e Conselhos Tutelares). Para os homens, os alunos são o grupo mais vulnerável do sistema educacional, já para as mulheres essa condição se aplica aos professores. Essa é uma das conclusões do primeiro resultado da pesquisa de opinião pública que teve início em Sorocaba no final do ano passado, através de parceria entre o Instituto São Paulo Contra a Violência (ISPCV) e a Universidade de Sorocaba (Uniso), por meio de seu curso de Relações Públicas. 

O sistema de ensino recebeu muitas críticas. Para os entrevistados, o ECA e os Conselhos Tutelares dão muita liberdade para os estudantes desrespeitarem e ameaçarem os professores. Consequentemente, estabelece-se uma relação conflituosa entre mestres, diretores e Conselheiros Tutelares: os dois últimos pressionando e punindo os primeiros em casos de desavença com alunos. De acordo com os participantes do grupo dos homens, a responsabilidade de educar deve ser compartilhada entre a escola e a família, porém falta entrosamento entre mestres e pais, bem como uma melhor atuação do Conselho Tutelar. Os estudantes são ao mesmo tempo vítimas e promotores da violência: traficam entorpecentes livremente e são vitimados pelo bullying e pela pedofilia. 

A pesquisa ainda revela que para esses sorocabanos a mídia é promotora da violência ao publicar notícias sensacionalistas, enfatizar e banalizar a criminalidade, incentivar o fumo e o consumo de bebidas alcoólicas e ao popularizar a imagem de que "bandido se dá bem". Na opinião dos homens, esse poder negativo da mídia afeta principalmente os jovens. Para as mulheres, deveria haver dois tipos de controle: um social (sobre o que se pode/deve veicular, que seria um tipo de censura) e outro individual (sobre aquilo que os filhos podem/devem assistir). Em outras palavras, na opinião das mulheres, tanto o Estado quanto a população têm responsabilidade sobre a questão da circulação da informação. Nos dois grupos, enfatizou-se a necessidade de haver mais veiculações positivas, ligadas à paz, tal como a continuidade das campanhas de paz, contra as drogas e as que despertam as pessoas para fazer o bem. 

Tanto homens quanto mulheres destacaram que o crescimento desordenado e o boom imobiliário têm contribuído para o aumento da criminalidade em Sorocaba, cujo indicador é justamente a ampliação da segurança particular e dos condomínios fechados. 

Os sorocabanos ainda destacaram a necessidade da participação da sociedade civil e do trabalho conjunto e articulado dos diversos setores (privado, público e não-governamental) para a prevenção e redução da violência e da criminalidade no município. Para homens e mulheres, a família e a educação são as bases essenciais para uma sociedade mais justa e pacífica. 

Ainda na opinião dos participantes da pesquisa, falta atitude cidadã por parte do brasileiro. Para homens e mulheres, há uma insensibilidade das pessoas perante a violência que afeta o outro, como se a vida humana deixasse de ter valor.
Para as mulheres, violência é tudo aquilo que atinge a integridade de uma pessoa e, opinião unânime, esta começa dentro de casa. Também afirmaram que a violência verbal é tão danosa quanto a física - a primeira muitas vezes gerando a segunda. No grupo masculino, as causas da violência são definidas de maneira mais estreita, focalizada em dois grandes eixos. Primeiro, os fatores econômicos: violência como reflexo do crescimento da cidade. Segundo, questões político-institucionais tais como falência do sistema de segurança pública, impunidade, corrupção, permissividade e ineficiência das leis brasileiras, entre outros. 

Conforme a professora Ana Cristina da Costa Piletti, coordenadora do curso de Relações Públicas da Uniso, responsável pela aplicação da pesquisa, quando perguntados sobre o medo que sentem no dia a dia, numa escala de 1 (nenhum medo) a 10 (medo extremo), na média das notas atribuídas por cada participante, homens e mulheres demonstraram ter o mesmo nível de medo (5,6 e 5,5, respectivamente). No grupo das mulheres, houve uma variação maior nas notas, com uma participante atribuindo a nota máxima, enquanto que entre os homens as notas foram mais homogêneas. Perguntados sobre quem tem mais medo (homens ou mulheres), na visão de ambos os grupos as mulheres tendem a ser mais vitimizadas e, portanto, a terem mais medo.

Como foi realizada a pesquisa

Os resultados divulgados nesta reportagem fazem parte da primeira etapa de uma pesquisa de opinião pública que fornecerá um mapa da percepção da violência e da criminalidade pela população de Sorocaba e subsidiará o desenvolvimento de projetos locais de segurança por parte do Instituto São Paulo Contra a Violência (ISPCV). Por meio da realização de dois grupos, um formado por 11 homens e outro por 11 mulheres, foi possível conhecer a percepção de homens e mulheres em relação à violência e à criminalidade na cidade. "Ainda que não se possam fazer generalizações, as narrativas fornecidas pelos participantes são termômetros para melhor entendermos as percepções e opiniões dos cidadãos em relação aos temas sugeridos", explica a professora Ana Cristina da Costa Piletti, coordenadora do curso de Relações Públicas da Uniso. 

A próxima etapa do estudo é uma pesquisa quantitativa utilizando técnicas probabilísticas que vão verificar estatisticamente as informações obtidas nos grupos de discussão. A pesquisa será aplicada para uma amostra representativa da população de Sorocaba (400 pessoas) por meio de inquérito pessoal utilizando um questionário estruturado com perguntas fechadas, semifechadas e abertas. A aplicação dos questionários já está em andamento. 

O Instituto São Paulo Contra a Violência (ISPCV) é uma Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (Oscip) criada em novembro de 1997 responsável pela criação do Disque Denúncia 181 e vários eventos. A pesquisa em Sorocaba se desenvolve através da diretoria regional, criada para atuar na cidade. O responsável pela diretoria é o advogado Antonio Francisco Mascarenhas, presidente do Conselho Comunitário de Segurança (Conseg) Centro e coordenador municipal da campanha São Paulo em Busca das Crianças e Adolescentes Desaparecidos. A ação tem como parceiros a Fundação Ubaldino do Amaral (FUA), mantenedora do jornal Cruzeiro do Sul, e o curso de Relações Públicas da Universidade de Sorocaba (Uniso). 
fonte>>http://www.cruzeirodosul.inf.br/acessarmateria.jsf?id=456271 

sexta-feira, 22 de fevereiro de 2013

Laudo sobre criança desaparecida em tiroteio ficará pronto em 15 dias


Maicon está desaparecido há mais de 2 meses

O laudo pericial sobre o caso do menino Maicon, que desapareceu durante uma troca de tiros entre policiais militares e um grupo de adolescentes em Vitória da Conquista, deverá ser concluído em até 15 dias pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT). Nesta terça-feira (19), a Delegacia de Homicídios do município realizou a reconstituição do ocorrido com a presença de todos os PMs envolvidos no caso, além de parentes da criança e testemunhas.
Maicon está desaparecido desde o dia 4 de dezembro do ano passado e seus familiares ainda não sabem se ele foi morto ou não durante o tiroteio. Eles chegaram a encontrar uma mancha de sangue no local, que teve amostra coletada pelo DPT para ser submetida a um exame de DNA e confirmar se pertencia à criança.

Mancha de sangue encontrada perto de matagal (Foto: Reprodução/TV Bahia)
O resultado da análise já foi entregue à Delegacia de Homicídios, mas ainda não foi divulgado. "Estamos aguardando a conclusão do laudo pericial para evitar qualquer tipo de pré-julgamento", declarou o delegado responsável pelo caso, Neuberto Costa.
Ele afirma ainda que, após a emissão do laudo pericial, o inquérito sobre o caso deverá ser emitido em até duas semanas, com ou sem a indiciação dos responsáveis pelo desaparecimento da criança. 

Entenda o caso
Na tarde do dia 4 de dezembro de 2012, enquanto brincava com amigos em um matagal do condomínio Vila Bonita, onde morava, Maicon Batista Braga foi surpreendido por um grupo de adolescentes apontados como suspeitos de envolvimento com tráfico de drogas. Minutos depois, policiais militares também chegaram ao local e trocaram tiros com os jovens. No meio da confusão, Maicon se perdeu dos amigos e desapareceu.

Familiares bloquearam a BR-116 em janeiro pedindo agilidade nas investigações (Foto: Rodrigo Ferraz / Blog Resenha Geral)
Cansados de esperar por uma resposta da Polícia Civil, os familiares da criança chegaram a protestar bloqueando a BR-116 no dia 4 de janeiro, quando o desaparecimento de Maicon completou um mês. Apesar do protesto, eles também foram obrigados a passar o aniversário de 10 anos do menino, no dia 27 de dezembro, sem uma resposta para o caso.

Brasilândia abre matrículas para o Projeto Educar Para a Vida


O Projeto Educar Para a Vida está com as matrículas abertas. As aulas começam no início de março. Os interessados, deverão se dirigir a Secretaria Municipal de Assistência Social, localizada na Rua Bartolomeu Viana Cavalcante nº 461, no bairro Jardim Camargo.

Os pais ou responsáveis deverão levar a cópia os documentos pessoais da criança ou adolescente, comprovante de residência e se caso for aluno novo, levar declaração escolar.

A novidade deste ano é que as aulas não serão mais na antiga escola agrícola, localizada a quase dez quilômetros da cidade. Devido as condições do prédio e também ao número reduzido de estudantes - após a criação de escolas em Tempo Integral – os estudantes foram transferidos para a antiga Escola Municipal Arthur Hoffig – Anexo, localizada próximo a rodoviária.

Embora a mudança de local, as aulas continuarão sendo as mesmas: artes (artesanato e pintura), dança, violão, teclado, informática, educação física e reforço escolar.
Segundo o diretor do Projeto, Bento dos Santos Filho, a unidade está sendo preparada para receber os alunos. “As novas salas e o novo espaço que devem abrigar os alunos, estão recebendo pequenos reparos na parte elétrica e na infraestrutura do local”, ressaltou.

O Projeto Educar para Vida de Brasilândia que faz parte do Peti (Programa de Erradicação do Trabalho Infantil), que é um Programa do Governo Federal que tem como objetivo retirar as crianças e adolescentes, de 07 a 14 anos, do trabalho considerado perigoso, penoso, insalubre ou degradante, ou seja, aquele trabalho que coloca em risco a saúde e segurança das crianças e adolescentes.

quarta-feira, 13 de fevereiro de 2013

Caso Sequestro Paulo Guilherme: Criança Sequestrada em Morada Nova é encontrada pela Polícia, diz Portal


Caso Paulo Guilherme: Criança Sequestrada em Morada Nova é encontrada pela Polícia, diz Portal

Foi libertado pela policia por volta das 17:30h na cidade de Quixeré o pequeno GUILHERME de 06 anos de idade,que foi sequestrado quarta feira da cidade de Morada Nova,a polícia prendeu 02 bandidos, e um foi morto no local,a criança já está em casa.

Chegou ao fim neste sábado (9) o sequestro do garoto de 6 anos, que foi levado do mercado do próprio pai, na última quarta-feira (6) na cidade de Morada Nova. A criança foi encontrada na localidade de Bom Nome, distrito de Limoeiro do Norte.

Segundo o delegado Andrade Junior, o cativeiro foi descoberto em uma operação conjunta das Polícias Civil, Militar e da Coordenadoria Integrada de Operações Aéreas (Ciopaer).
Seis pessoas, que estavam no cativeiro no momento da ação policial, foram presas em flagrante e levadas para a delegacia de Morada Nova. 

Ainda segundo a polícia, o crime foi encomendado por um presidiário que se encontra na Casa de Privação Provisória de Liberdade (CPPL), em Caucaia. O garoto foi encontrado ileso e voltou ao lar transportado pelo helicóptero do Ciopaer.

O caso:

Paulo Guilherme, de 6 anos, foi sequestrado na última quarta-feira (6) em Morada Nova. A criança estava dentro do comércio do pai quando dois homens invadiram o estabelecimento e raptaram o garoto. Após levar o menino, os dois homens fugiram em um carro de cor prata.


fonte>>http://www.caioprado.com/2013/02/caso-paulo-guilherme-crianca.html

Stênio quer divulgar fotos de crianças desaparecidas no Diário


Foto Materia

O deputado Stênio Resende (PMDB) defendeu durante entrevista concedida ao programa “Portal da Assembleia”, a divulgação de fotos de crianças e adolescentes desaparecidos na última página do Diário Oficial da Assembleia Legislativa do Estado do Maranhão.

O parlamentar informou que a proposta já foi protocolada, por meio de indicação de sua autoria, e está sendo analisada pelos deputados-membros da Mesa Diretora da Casa, que devem autorizar a divulgação ainda no primeiro semestre do ano em curso.

Na entrevista, Stênio disse que abraçou a causa porque o desaparecimento de crianças é um problema muito sério no Brasil e no Maranhão. Segundo ele, milhares estão desaparecidos. “Infelizmente, muitas famílias sequer registram seus casos na polícia”, afirmou.

Para Stênio, a divulgação das fotos no Diário do Poder Legislativo do Estado do Maranhão vai facilitar a localização das crianças desaparecidas e devolvê-las ao seio de suas referidas famílias.  “A maioria dessas crianças vive jogada nas ruas”, lamenta.   

CONTATOS

De acordo dados fornecidos pela Associação Brasileira de Busca e Defesa das Crianças Desaparecidas, somem, a cada ano em todo o Brasil, cerca de 40 mil crianças e adolescentes. Desse total, cerca de 10% a 15% (de 4 mil a 6 mil) nunca mais voltam para casa.

As fotos e os dados das crianças desaparecidas podem ser obtidos nos seguintes endereços:www.dpf.gov.br, da Polícia Federal, e www.fia.rj.gov.br/sos.htm, do SOS Crianças Desaparecidas, pertencente à FIA (Fundação para Infância e Adolescência).

A Fundação para a Infância e Adolescência é um órgão da administração indireta do governo do Rio de Janeiro, vinculada à Secretaria de Assistência Social e Direitos Humanos (SEASDH), que tem como objetivo colaborar na formulação de políticas públicas de garantia de direitos na área da infância e adolescência.

sexta-feira, 8 de fevereiro de 2013

Criança encontrada por policiais em boca de fumo é hospitalizada


A Polícia Civil de Uruçuí efetuou um mandado de busca e apreensão de drogas na residência de um casal na manhã desta quinta-feira (7). Durante a vistoria na casa, que fica no Centro do município, os policiais encontraram em um dos cômodos uma criança de apenas oito anos, deficiente visual e desnutrida dormindo no chão da residência.


“A criança é filha de Maria Charlene, que é a dona da casa. Ela e seu marido, o Rudialen, são usuários de drogas. A residência funciona como boca de fumo, e pode-se perceber pelo mau-cheiro que não tem nenhum tipo de higiene. A menor estava numa condição desumana”, afirma o delegado Matheus Zanatta.

Nenhuma droga foi apreendida, apenas objetos para usos de entorpecentes foram encontrados na residência, que segundo o delegado, não tem água nem energia elétrica. Já a menor, de iniciais L.S.S., foi levada para o hospital de Uruçuí para ser medicada, e ficará sob observação de médicos e psicólogos. 

A Secretaria de Assistência Social e o Conselho Tutelar estão acompanhando o caso. Maria Charlene e Rudialen foram autuados e estão presos na Delegacia de Uruçuí à disposição da Justiça.


fonte>>http://www.portalaz.com.br/noticia/municipios/261113_crianca_encontrada_por_policiais_em_boca_de_fumo_e_hospitalizada.html

Encontrada viva em Traipu a menina desaparecida em Arapiraca


 Ela foi encontrada por uma equipe do Conselho Tutelar 

20:55 - POLÍCIA
Por Redação

A jovem Andreza Namur de apenas 11 anos, desparecida desde a manhã desta sexta-feira (01), de sua própria casa no Bairro Planalto em Arapiraca, foi encontrada viva e bem de saúde, durante o início da noite de hoje na cidade de Traípu. Ela saiu de casa ás 7h da manhã  e não retornou mais,  deixando roupas e até um aparelho celular.

Segundo o relato da própria mãe da menina em entrevista aoprograma Canal 96, apresentado pelo radialista Angelo Farias, Solange contou que a filha Andresa, ficou em casa na companhia de uma irmã menor de 03 anos e do Pai que trabalhava no quintal da casa.

A jovem aproveitou a distração do pai e saiu sem informar qual o destino ou com quem iria sair. Quando o mesmo percebeu a ausência da filha mais velha resolveu procura-la e não encontrou a garota dentro de casa.

Desesperado o Pai iniciou buscas pelo bairro, mas ninguém sabia do paradeiro de Andreza, durante as buscas, eles obtiveram a informação que a menina havia fugido para a casa de uma amiga localizada na cidade de Traipu, mas familiares da garota realizaram buscas na cidade e nada foi encontrado.

O alerta dado em vários veículos de comunicação e a polícia ajudou na localização da menor na cidade de Traipu, em contato com o avô da menina, a reportagem do Portal 7Segundos, obteve a informação que o conselho Tutelar da cidade de Traipu já estava a caminho de Arapiraca, trazendo a menor. Ele não soube informar o motivo que levou a garota viajar até a cidade ribeirinha, mas que importava agora era rever a neta e abraça-la, pois a angustia de familiares e amigos era grande desde o desaparecimento da mesma. 

Família de Frutal procura criança desaparecida há mais de três anos


Joseli de Souza Melo, 35 anos, é mãe de seis filhos e vive um drama há três anos. A filha mais nova, Bruna Marques Melo, desapareceu no dia 23 de outubro de 2009, quando tinha quatro anos. A menina brincava na rua da casa dela em Frutal (187 quilômetros de Uberlândia) com o irmão gêmeo e outras três crianças. A mãe conta que no momento passava um carro de som anunciando a chegada de um circo à cidade e que as crianças ganharam convite para assistir ao espetáculo.

Empolgados, o irmão e as três crianças entraram na casa e mostraram os convites. 

Bruna Melo foi a única que não entrou. Joseli Melo conta que naquele momento foi para a porta de casa dela para buscar a filha, mas encontrou apenas a bicicleta que ela brincava. “Quando vi aquela bicicleta jogada embaixo de uma árvore, senti que minha filha estava em apuros”.
Bruna Melo tinha quatro anos quando desapareceu
A mãe conta que no dia pediu ajuda para toda a vizinhança e cerca de 80 pessoas procuraram a menina por toda a cidade. “Uma pessoa viu um carro preto parando aqui na rua e a chamando para dentro”, disse. Depois disso, Joseli Melo e o marido Márcio Marques da Silva receberam denúncias de várias partes do país de onde estaria a criança, mas ela nunca foi encontrada. “Todos os dias eu peço a Deus para que ele me ajude a achá-la”.

O delegado responsável pela investigação do caso, Cleyson Rodrigo Preme, informou que o inquérito de buscas pela criança foi instaurado dois dias após o desaparecimento e todas as denúncias que chegaram à Delegacia de Polícia Civil foram apuradas. “Fomos ao Mato Grosso, Bolívia, Rondônia e São Paulo. Fizemos rastreamento e interceptação telefônica, mas não temos pistas da criança”.

A mãe acredita que a criança tenha sido levada por uma família de ciganos, que estava acampada próximo ao local onde estava instalado o circo. “Nós fomos ao circo e o seguimos por um tempo, mas não achamos a Bruna. Por isso, acredito que ela esteja com esse pessoal (ciganos)”.

A reportagem tentou contato com os donos do circo Fox Circos, mas ninguém foi encontrado. Na época do desaparecimento, os proprietários, segundo o delegado, prestaram depoimento e negaram envolvimento no caso. “Não localizamos a criança lá”.
O delegado informou que não descarta nenhuma hipótese. “As investigações ainda não foram finalizadas, mas estamos na fase de que só daremos seguimento quando recebermos alguma denúncia. Nós não temos mais pistas”.

A última denúncia que a mãe recebeu informava que a filha estava em Cuiabá no Mato Grosso. Ela revela que chegou a ir com a polícia até a cidade. “Procuramos em tudo quanto era lugar. Agora resta a dúvida de saber se ela está bem, se está viva. Eu preciso de uma resposta”.

Menina desaparecida de Bayeux é encontrada em Santa Rita

Menina desaparecida de Bayeux é encontrada em Santa Rita
Foto: Mãe da garota fazendo o apelo

Luciana de Sousa Santos de 13 anos que estava desaparecida desde segunda-feira (4) preocupando toda a família foi encontrada pelo Conselho Tutelar de Santa Rita na noite de terça-feira (5). O desaparecimento durou mais de 24 horas.

De acordo com mãe da garota, Maria Ruberlita, houve uma discussão entre elas que culminou na saída da menina de casa. Ruberlita acredita que a filha resolveu sair de casa para esfriar a cabeça. O motivo da discussão não foi revelado pela mãe da menina.

“Havíamos discutidos na noite de segunda-feira e ela resolveu sair de casa para chamar minha atenção”, disse a Ruberlita.

A garota estava na casa de uma minha amiga no bairro do Marcos Moura em Santa Rita. Devido à proporção que história alcançou - principalmente nas redes sociais e na imprensa-, ela resolveu voltar para casa. Ela foi para o Conselho Tutelar de Santa Rita com intuito de acalmar os familiares.

Ela chegou à casa da amiga através de um alternativo alegando que iria encontrar com um tio porque estava doente. “Graças a Deus que minha filha está de volta. No pior das hipóteses foi apenas uma birra dela”, disse a mãe aliviada.


fonte>>http://marifuxico.blogspot.com.br/2013/02/menina-desaparecida-de-bayeux-e.html?utm_source=feedburner&utm_medium=twitter&utm_campaign=Feed:+marifuxico+(::::::::::++MARI+FUXICO++::::::::::+Not%C3%ADcias+de+Mari,+da+Para%C3%ADba,+do+Brasil+e+do+Mundo!)

Criança sequestrada por aposentado é libertada após 6 dias


O homem suspeito de assassinato que sequestrou menino de cinco anos nos Estados Unidos foi morto e a criança está livre e a salvo, após quase uma semana de sequestro no Alabama, nos Estados Unidos, informou o FBI.

A Polícia identificou o sequestrador como Jimmy Lee Dykes, caminhoneiro aposentado de 65 anos. O motivo do sequestro, ocorrido em 29 de janeiro na cidade de Midland City, no Alabama, ainda não foi esclarecido.

Dykes raptou o menino e o manteve em um bunker por seis dias depois de supostamente matar o motorista de ônibus escolar que tentou impedir o sequestro. O menino, identificado como Ethan, passa bem. (das agências)

Criança sequestrada tem alta e maternidade reforça segurança

Acusada de ter se disfarçado de enfermeira e levado o bebê foi presa. Polícia concederá entrevista coletiva ao meio-dia.

A diretora do hospital do Satélite, Sabrina Tajra, informou agora pouco – às 10h50 – que o bebê sequestrado teve alta na manhã de hoje. O recém-nascido de apenas três dias de vida passou por uma bateria de exames e passa bem.


TERESINA(Imagem:BEBE JA TEM ALKTA)
“Fizemos exames tanto na mãe como no bebê e todos estão bem. Por isso, ele teve alta”, disse a diretora do hospital.


O recém-nascido foi sequestrado por uma falta enfermeira dentro da maternidade do Satélite na manhã de ontem. Em menos de 24h, a mulher acusada do crime foi encontrada no bairro Aeroporto. Ela foi identificada como Débora Santos Cunha, 34 anos, servidora pública da prefeitura de Lagoa Alegre.


DE BEBES(Imagem:SEQUESTRADORA)

Sabrina Tajra informou que após o sequestro o hospital adotou uma série de providências. Entre as medidas está o reforço na segurança do ambulatório e da maternidade, além de exigir o uso de crachás tanto dos visitantes como dos funcionários e instalação de câmeras pelo hospital.


“Temos um fluxo muito grande de pessoas e o crachá é para identificar os visitantes e os servidores. Pedimos um reforço de oito policiais para fazerem plantão no hospital”, disse. 
Sabrina atribui o crime a uma “fatalidade” e um descuido, mas ressaltou que o sequestro poderia acontecer em qualquer hospital. 

atualizada às 9h11


O bebê sequestrado da maternidade do hospital do bairro Satélite, na zona leste de Teresina, na manhã da última segunda-feira (4) e encontrado ainda ontem à noite, passará passou por uma série de exames que deverão continuar nesta terça (5). A medida é de precaução para assegurar que a criança esteja bem de saúde. 

O Caso
A funcionária pública Débora Santos Cunha, 34 anos, é suspeita de ter levado o bebê recém-nascido ao se passar por enfermeira. Ela teria vestido um jaleco branco e pedido o menino de dois dias que estava com a avó, alegando que iria vaciná-lo. Em seguida, fugiu em um mototáxi. 


A Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente entrou no caso. Populares identificaram o mototaxista que havia levado a mulher ao hospital. O condutor colaborou com a polícia e levou os policiais até a casa da suspeita no bairro Aeroporto

Após ser presa, Débora alegou à polícia que havia perdido um bebê há três meses e teve de pegar outro para evitar que seu marido a abandonasse. 

_____________________________________________________________________-
A Diretoria do Hospital do Satélite, zona Leste, comunica que por volta das 21h desta segunda-feira, 4, foi encontrado o bebê raptado no início da manhã, das dependências do hospital.


A criança já está com a mãe e foi submetida a alguns exames. Na manhã desta terça-feira, 5, será submetida a mais procedimentos para assegurar que não está com a saúde comprometida.


A mãe da criança Francisca Eliene está com o bebê no hospital, pois ainda continua em recuperação devido ao parto cesariano.


A Diretoria do Hospital agradece o empenho e eficiência da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), ao chefe de investigação Joathan Gonçalves e equipe na condução das atividades em busca da criança, à Polícia Rodoviária Federal e a Polícia Rodoviária Estadual. 


fonte>>http://www.tribunadomaranhao.com.br/blogs/crianca-sequestrada-tem-alta-e-maternidade-reforca-seguranca-1002696.html

Criança de 6 anos é sequestrada no Interior


O filho de um comerciante, uma criança de 6 anos de idade, foi levado de dentro do comérciodo pai por sequestradores. O caso ocorreu por volta das 16h40, na última quarta-feira (6), no município de Morada Nova, a 161 km de Fortaleza.
2 homens com capacetes entraram no estabelecimento e levaram a criança que estava atrás do balcão. Durante o sequestro, ainda assaltaram o vendedor de uma empresa de refrigerantes que estava prestando contas com o comerciante.
Os acusados levaram R$ 426,00 e fugiram em um automóvel Gol de cor prata, segundo a Polícia Militar. A criança continua desaparecida. Ainda não há informações sobre o paradeiro dos acusados.